quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Escondido detrás da fraqueza(...)


(...)Por vezes somos freados pelos obstaculos da vida sempre que aumejamos excessivamente algo que, a curto prazo, nos tragam bem-estar e harmonia que em posterior ergua a auto-estima, esta precedida por reflexos oscilatórios. Ao criarmos um ponto de equilibrio meramente humano,nos tornamos dependente dele a ponto de compararmos com uma herança no qual não se pode ser perdida,é semelhante a algo ou alguem que jamais podemos distanciar. A fraqueza que impera na alma de uma pessoa ao ser frustrada em todos os meios pelo qual procura ser o mais regular possível,quebra a esperança de se viver intensamente e os momentos de alegria se tornam raros. A dificuldade de expor os sentimentos que esta contido no ''peito'' é dolorosa,pois nos faz dizer que está sempre bem e omitir as razões pelas quais não está(...)

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Pessoas e incertezas (...)


Às vezes nos encontramos isento de idéias e buscando um rumo na vida para servir de objetivo para seguirmos confiante em algo legitimamente humano. Atualmente somos alvos de medo e hesitação, pelo fato de nos bloquearmos para a solidariedade com o receio de sermos frustrados e receber em troca a violência contida no meio em que vivemos. Como sempre ouvíamos falar no passado, ocultamente; o nosso futuro já está acontecendo no decorrer dos minutos, e o sonho de uma paz coletiva para todos vem sendo escondida e trabalhada só teoricamente nos pensamentos.
As pessoas de má fé morrem em unidade e ressurge em coletividade fazendo parte assim da balança que limita o mau-caráter, este que sustenta o lado ruim da ‘’libra’’. Já os simples humanos que surgem dotados de bom senso são os que englobam o lado bom da filosofia da vida, e que são gradativamente ao decorrer dos tempos ofuscados equiparadamente pela insegurança de continuar visando em prática e atitudes o objetivo comum de nossa existência; que é nascer, vivenciar experiências e desfalecer quando for chegado o momento em que a velhice de nosso organismo persistir em descansar eternamente.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Teorias e suposições (...)


No mundo existem várias teorias pseudo-conspiratórias que vão contra fundamentos tidos como formais por uma maioria, a exemplo de mortes que vem sendo causada, como concretização de uma ordem que foi instaurada há tempos na sociedade, por intelectuais que por serem bastante criativos visavam reunir mentes pensantes de ‘’caráter-critico’’ que fossem de encontro a objetivos incomum. Essas teorias que muitas vezes fixam-se em códigos são bastante complexa e podem superficialmente servir como parâmetro para o surgimento de uma geração que vieram a suceder os ‘’deuses’’ antigos e fora alem dos dinossauros, ou seja, a evolução da humanidade atual e suas constantes turbulências no âmbito generalizado.
Muitos estudiosos vêm estudando há séculos nosso compreendimento, porem, o que conseguimos desvendar são apenas ramificações de códigos contidos em imagens, acontecimentos históricos e etc.(...)

terça-feira, 31 de maio de 2011

Nostalgia e reflexão


Volta e meia nossos pensamentos insistem em recordar momentos tristes e alegres que fora ficando no passado,quando esses ‘’flashes’’ instala-se em nossa mente parece que estamos a viver novamente tudo o que se passou.Dá-se uma pausa no tempo e quando a recordação é triste,as lágrimas descem pela face,como uma pequena cachoeira que vem para molhar as ‘’pedras ásperas’’ que antes estava ressecada.
Quando se fala em nostalgia, a vontade de querer ter vivido constantemente cada momento passado na história é reproduzido em nossos pensamentos a exemplo de um filme. As vezes,no simples fato de ler, somos tomados pela nostalgia que é genericamente; uma cadeia de pensamentos que vivenciamos e logo após somos impossibilitados de reviver por ser na maioria das vezes um momento único em nossas vidas(...)

terça-feira, 3 de maio de 2011

Ausências existentes

Nesses momentos de caos social e anormalidades mundanas me limito a escrever com palavras mescladas a falta de assunto no qual me vejo atualmente. Quando se está ''inlocomovível'' nos percebemos incapazes fisicamente e paramos para refletir sobre as atividades exercidas regularmente em tempos passados, que em dias atuais se torna complexamente dificil de exercer. Talvez vivamos completamente em intensa incompreensão dos acontecimentos envoltos ao nosso redor, de modo que,enquanto coisas atípicas sobrecai sobre o nosso próximo nos atingem psicologicamente em poucas oportunidades,porem,quando os papéis são invertidos somos ''nocauteados'' por falta de experiências sentidas na pele.Desse modo se é compreendido que a ausencia de um membro ,seja ele compreendido em vários sentidos,fazem uma falta tão grandiosa que o arrependimento que impera em nós por termos perdido,quando de maneira irresponsável,nos fazem valorizar cada veia,ossos e musculos que usamos enquanto somos funcionais.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Reflexos do pensamento(...)


(...)Todas noites tranquilas em momentos de descanso distraio-me para adormecer e esquecer por um leve momento o que havia vivido ha pouco. Ao observar as sombras que se formam na escuridão clareada,crio sem ter a intenção ,em minha mente, objetos e vultos figurado que foge de mim igualmente a um feixe de luz que se cria e some rápidamente,esse acontecimento se dá numa escada que dá acesso ao ultimo andar de uma casa aparentemente tranquila e isenta de mal-assombração levando em consideração que nós humanos não vem a enchegar tal fato.
Dessas tantas falácias,apenas estou a destrinchar que por várias vezes perco o sono tão aconchegante e me deparo com ''vultos'' complexos de compreender,talvez um reflexo de algo que queira me ajudar de qualquer maneira e queira expulsar os medos e erros comprimidos nas aparições que se aproximam de minha pessoa, para fazer com que eu possa trilhar meu trajeto sem muitas interferencias que insistem a cercar-me(...)

quinta-feira, 31 de março de 2011

Dizendo em Dispersão(...)

(...)Mas uma vez me perco escrevendo de maneira não-cronológica nesse meio lógico de leitura donde a criatividade reina em versos imcompreensíveis,porem eloquentes dotados de percepções que circulam no psicológico como translações que se encontram no eixo das reflexões. Para dar continuidade as emancipações que se segue,apenas concluo o que já fora e vem sendo dito pelas mentes pensantes de uma maneira dispersa sem repetir o que fora dito. Não peço que siga o que esta descrito,mas que venham a continuar as respostas que chacoalham pelos ventos e dificilmente é absorvida pelo intelecto.Por vezes tento puxar o raciocínio para um objetivo,todavia acabo dispersando em frases o que muitos querem expandir em textos conclusos, donde a mente humana quer centralizar em entendimento rápido e eficaz. Porem como é bom ser pensante se podemos complicar em entrelinhas o que compreendes em síntese(...)