sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Momentos monótonos(...)


E lá vai novamente, super vagarosa e às vezes veloz o tempo que se alastra envelhecendo o que a pouco era jovem, no meu refugio me sinto incrementado na reserva por não saber jogar no nível de uma maioria que se espalha em afazeres não-linear, talvez o melhor momento da vida esteja acontecendo em fumaças de idéias, donde há muito cérebro para pouca absorção. A deficiência ou carência psicológica se torna filmes destacados em melhores momentos, e na maioria das vezes pensamentos melancólicos antes do profundo e curto descanso físico que em longos minutos nos faz, e muito, refletir sobre os acontecimentos que repercutiram enquanto desperto na rotina diária. Na atualidade o ‘’novo ‘’ não costuma surpreender tanto, porque a configuração com que se molda o mundo em geral nos ‘’monotiza’’ completamente a ponto ocultar a beleza transformando-a em frustração psicológica.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

‘’Maldita ou Bendita Liberdade de Expressão!?’’


Desculpas a quem sentires ‘’dor’’. No que compreende em liberdade talvez violência reine em linguagens e depreciações. O que vemos nos momentos atuais é fruto do passado rígido em domações e ínfimo em doações de conhecimento, ou seja, em tempos passados nós éramos limitados de coisas que para os estudiosos seriam uma ameaça absoluta para o ‘’sistema’’, talvez em comparação com uma espécie de ‘’cão domesticado’’,sendo que havia uns que obtinham façanhas de burlar essas organizações pré-estabelecidas. Nesta pós ‘’domesticação’’ foram-se tiradas as ‘’coleiras’’ para que se fosse seguido o rumo certo, todavia o que outrora fora suspeita de ameaça, no presente se tornara ramificações intelectuais de comportamentos mal-intencionados de violências generalizadas cercadas por negligencia pelo fato de em algum momento terem reprimido pelo receio e liberto pelas ‘’suplicas’’... Mas essas metamorfoses fazem parte de uma evolução humana, só com correções haverá melhorias.

‘’Sem nada pra falar...?’’


Por que o medo nos deixa tão perplexos e fóbicos? Em uma certa situação me via diante de uma ida dolorida do próximo para outra sintonia de pensamento ,tão veloz que logo passou.Talvez não entendas como se configura o momento em que desenrolamos a nossa trajetória por essas redondezas, pois os percalços é como fantasmas que aparecem subliminarmente sem que saibamos de como se fora moldado. Quando em nosso natal surgimos o que nos vem é oposição,ou seja, desde o ponto inicial até os fim dessa temporada de cada um,nos gastamos por tão pouco em suicídio vagaroso, e por muitas vezes veloz como no que há nessa geração que era alertada no passado à pouco tempo donde dizia em canção. ’’ o futuro não é mais como era antigamente’’. Então que esperemos e vejamos que resultado teremos nessas aspas.