sábado, 15 de janeiro de 2011

Suicídio solitário(...)


O Início disso tudo é disperso, porem o caminhar é doloroso, quando há o afastamento dos entes o invisível impera negativamente no pensamento, destrinchando a destruição vagarosa dos neurônios pensantes, desequilibrando o poder do ser racional. Por vezes no ‘’pré-sono’’ a falta de alcances de objetivos nos faz criar turbilhões melancólicos de fracassos pessoais, sendo este o ponto chave para imperar na mente a relação com o suicídio. Nos momentos em que há solidão os sonhos retratam o oposto, para minimizar o sofrimento da alma, esta que se sente sem forças por muitas vezes por não obter apoios recíprocos em grande escala. Ou seja,quando se está sozinho a perambular pelos caminhos sem companhia moral,e não há obtenção de realizações, o sentimento de incapacidade sobrepõe a o que somos capazes.O suicídio une-se ao pensamento formando um elo de tristeza para o fim psicológico imediato,por conseguinte a morte física. Porém não sustenta falecer por se achar incapaz, pois acabando-se precocemente não finalizará as penitencias(...)